CRIADO COMITÊ POPULAR EM DEFESA DO CENTENÁRIO

Com a presença de representantes de diversas entidades, governamentais e não-governamentais, foi criado, na tarde desta terça-feira, dia 19, na Câmara Municipal, o Comitê Popular em Defesa do Hospital Centenário. Proposição da Comissão Suprapartidária de Vereadores em Defesa do Centenário, o Comitê surge como mais um importante movimento realizado para salvar o Centenário da grave crise enfrentada em razão da falta de recursos e da disparidade de investimentos entre município (70%), União (26%) e Estado (2,95%).
Conduzida pela vereadora Ana Affonso (PT), a reunião iniciou com uma apresentação da situação do hospital, feita pela vice-presidente de Operações Lilian Silva e pelo vice-presidente Administrativo Anésio Bohn.

Em sua fala, o prefeito Ary Vanazzi reforçou o apelo que tem feito nas diversas atividades em que a crise do hospital é debatida: “A participação da sociedade é estratégica e essencial nesta luta, porque entramos de cabeça neste debate e vamos resolver a crise para reerguer a cidade”, disse.
Segundo Vanazzi, o município precisa voltar a dar atenção à saúde preventiva da população, que é seu papel, e o Estado e a União devem repassar o que é justo ao Hospital Centenário. “Queremos ser respeitados e tratados como qualquer outro ente da federação. Não há no Rio Grande do Sul um hospital que atenda o número de pessoas que atendemos e que receba tão poucos repasses do governo do Estado quanto o Centenário”, ressaltou o prefeito.

O Comitê terá sua primeira reunião de trabalho na próxima quinta-feira, dia 21, às 13h30min, na Câmara de Vereadores, para definir as próximas atividades a serem realizadas. Um dos encaminhamentos aprovados foi a mobilização dos municípios que encaminham pacientes ao Centenário e que, com a redução de serviços, também serão penalizados. “É imprescindível o envolvimento da região, porque quando não atendemos aqui, eles têm problemas. A solução do nosso problema também é a solução para eles”, reforçou Lilian Silva.

Também participaram reunião a vice-prefeita Paulete Souto, vereadores de várias bancadas da Câmara Municipal, Secretaria Municipal da Saúde, representante da Comissão de Saúde e Meio Ambiente da Assembleia Legislativa, da Acist, CDL, representantes de entidades religiosas, de associações de bairros, e representantes sindicais.

 

19_09_2017 Reunião Câmara 119_09_2017 Reunião Câmara 2

ROTARACT DOA MÓVEL PARA O PRONTO SOCORRO

No dia 30 de julho, o Rotaract São Leopoldo realizou a segunda edição do Chá da Oma, evento que une pessoas e empresas a comunidade em prol de instituições da cidade. Neste ano, os recursos da venda de convites para o chá foram revertidos em benefício do Pronto Socorro do Hospital Centenário, que foi contemplado com um móvel feito sob medida para armazenamento e manipulação de medicamentos pela equipe de Enfermagem. Mais de 140 pessoas prestigiaram o chá, que contou com doações de iguarias como bolos, cucas e sucos de 20 empresas.
O móvel foi entregue por voluntários do Rotaract na tarde desta segunda-feira, dia 18, à vice-presidente de Operações do Centenário, Lilian Silva. “Somos profundamente gratos a estes jovens por terem escolhido o Hospital, que é de toda a comunidade, para ajudar”, salientou Lilian, que prestigiou o Chá da Oma, acompanhada de funcionários do HC.
O Rotaract é um grupo de voluntariado que une pessoas de 18 a 30 anos em todo o mundo para trocarem ideias, aprimorarem suas habilidades de liderança, ajudarem o próximo e se divertirem ao longo do caminho.

18_09_2017 Entrega móvel HC

Aberto edital de seleção para Residência Médica

Já estão abertas as inscrições para as provas de seleção para Residência Médica. No Hospital Centenário, as vagas são para pediatria, obstetrícia, clínica médica, anestesiologia e cirurgia geral. O período de inscrições vai até dia 16 de outubro. Para saber sobre as regras e cronograma de execução do exame, consulte o edital.

O Programa de Residência Médica foi implantado em 2015 no Centenário e atualmente tem seis residentes, nas áreas de neurocirurgia, anestesia, clínica médica e pediatria.

Acesse e divulgue: EDITAL RESIDENCIA AMRIGS 2017

Foco na capacitação continuada de servidores

É com satisfação que informamos que o mês de agosto atingiu a marca 2.207 horas de capacitação de funcionários do Centenário, em cursos ofertados nas modalidades a distância e presencial. O envolvimento de diversos profissionais do Hospital e de entidades parceiras propiciou que servidores participassem dos cursos de Eletrocardiograma, Doação de Órgãos, Prevenção de Infecção em Feridas Operatórias e Germes Multirresistentes.

Além disso, durante o mês de agosto, servidores participaram de cursos ministrados pelos hospitais Sírio-Libanês, Osvaldo Cruz e Moinhos de Vento. No mesmo período, o Centenário acolheu os novos estagiários de Técnico de Enfermagem das escolas EST, Escola da Paz e Senac, além da primeira turma de acadêmicos de Enfermagem da Unisinos.

As capacitações estão sob a coordenação do setor de Ensino e Pesquisa do Hospital Centenário.

05-09-2017- Capacitações agosto 105-09-2017- Capacitações agosto

ASSINADO DECRETO QUE TORNA O CENTENÁRIO 100% SUS

Sob aplausos das mais de 300 pessoas que participavam da Plenária Popular em Defesa do Hospital Centenário, na noite de segunda-feira, dia 28, o prefeito Ary Vanazzi assinou o decreto que transforma em 100% SUS os serviços prestados pela instituição. Um conjunto de medidas para redimensionar os serviços ao seu real custeio serão postos em prática durante 60 dias, a contar de setembro. Uma das medidas será tornar toda a capacidade instalada do Centenário para o atendimento à população que utiliza o Sistema Único de Saúde. “Queremos salvar o Hospital para salvar a cidade. Porque o Centenário é uma fundação que deveria ter receita e despesa, mas na realidade é como se fosse uma secretaria do governo. Agora estourou, não dá mais”, ressaltou o prefeito.

O município passa por uma grande crise financeira herdada da gestão anterior que lhe obriga, inclusive, a parcelar os salários do funcionalismo desde o início do ano. Em síntese, o decreto de número 8.843 determina que a Fundação Hospital Centenário destine 100% de seus serviços de saúde, ambulatoriais e hospitalares, exclusivamente ao Sistema Único de Saúde e concede prazo de 60 dias para que a Fundação proceda todas as adequações necessárias.

Durante o mês de agosto, o prefeito Ary Vanazzi já havia anunciado que, se os repasses financeiros do governo do estado e da União não aumentassem, o Centenário poderia deixar de atender cerca de 1,2 milhão de pessoas de cidades dos vales do Sinos, do Caí, do Paranhana e da Região Metropolitana para as quais o hospital é referência em especialidades médicas como oncologia, neurologia, Rede AVC e nefrologia. O impasse continua e decisões sobre o encerramento dos serviços médicos à população de fora de São Leopoldo deverão ser tomadas dentro do prazo de adequação necessária estabelecido pelo decreto, ou seja, 60 dias. Hoje, a Prefeitura de São Leopoldo custeia cerca de 70% da Fundação Hospital Centenário, o governo federal pouco mais de 26% e o governo do estado menos de 3%.

Em relação ao atendimento de neurologia e neurocirurgia, continuarão sendo atendidas urgências e emergências de pacientes dos 15 municípios para os quais o Centenário é hoje referência na rede de saúde. Porém, estes atendimentos já podem ser suspensos a partir de 1ª de setembro para novas consultas e para as cirurgias eletivas.

A plenária aconteceu no auditório do Colégio São Luís, na avenida João Corrêa (Centro de São Leopoldo) e teve a participação de autoridades como o deputado federal Dionilso Marcon e os deputados estaduais Altemir Tortelli e Tarcísio Zimmermann que, à tarde, participaram da audiência pública na Comissão de Saúde e Meio Ambiente da Assembleia Legislativa em que se debateu alternativas à crise financeira do hospital. Também estiveram presentes a vice-prefeita Paulete Souto, vereadores de várias bancadas da Câmara Municipal e representantes sindicais, da Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), de ONGs da área assistência social, líderes religiosos, presidentes e diretores de associações de bairros, além de funcionários e funcionárias da Fundação Hospital Centenário.

[Jornalista Ana Garske | MTb 8443 | Fundação Hospital Centenário | Fotos: Rodrigo Machado | Decom PMSL | Edição: Henri Figueiredo | Colaboraram: Gabriela dos Santos e Aline Marques | Dec

 

 

 

 

imagem228-08-2017- Assinatura Decreto 100% SUS - 1nova imagemimagem2

Paciente passa por 17 horas de cirurgia para retirada de tumor raro no crânio

A equipe de neurocirurgia do Centro Avançado de Neurologia e Neurocirurgia (Ceanne) do Hospital Centenário realizou, durante 17 horas seguidas, entre a segunda e a terça-feira dos dias 14 e 15 de agosto, uma cirurgia rara para a retirada de um tumor localizado na junção crânio-cervical, denominado cordoma, que afetava toda a transição entre o crânio e a coluna cervical. A paciente, uma jovem de apenas 17 anos moradora de Novo Hamburgo, teve o tumor inteiramente removido. Este tumor estava causando dificuldades de deglutição e fala, e a paciente e seus familiares tinham conhecimento de que se nada fosse feito a doença iria tirar a vida da paciente. Ela se recupera na UTI do Centenário e não corre risco de sequelas neurológicas. De alto custo e feito em poucos hospitais do mundo pela sua complexidade, o procedimento foi custeado inteiramente pelo SUS.
Há três semanas, a mesma paciente foi submetida à primeira etapa deste longo procedimento, em uma cirurgia que levou 7 horas, para a fixação da coluna cervical, na parte de trás do crânio, retirando a parte de trás do tumor. “Esta primeira intervenção foi preparatória à cirurgia realizada esta semana. Nesta segunda etapa, os neurocirurgiões e o cirurgião bucomaxilofacial acessaram o tumor por debaixo da mandíbula e fixaram a coluna pela frente”, explica o neurocirurgição do Ceanne Centenário, Dr Gustavo Isolan.
Realizaram a cirurgia os neurocirurgiões Leandro Dini e Gustavo Isolan, além da residente em neurocirurgia do Ceanne Centenário Evelise Flores e do cirurgião bucomaxilofacial Michel Martins Guarenti.
Somente no mês de julho, foram feitas 63 neurocirurgias de alta complexidade pela equipe do Ceanne Centenário para pacientes do SUS residentes em São Leopoldo e nas cidades de referência para as quais o Hospital é referência. Conforme o Dr Leando Dini, este tumor é extremamente raro e difícil de operar. “O pior aconteceria se não existisse um centro de neurocirurgia tão capacitado para atender pacientes do SUS como o de são Leopoldo.”

21-08-2017- Foto cirurgia crânio